sexta-feira, 2 de julho de 2010

.

Olá, seja bem - vindo(a)!

O blog dá zero pra ele quer levantar a discussão sobre o plágio acadêmico. Vamos abordar conceito sobre plágio, postura do professor, papel do aluno, legislação sobre plágio acadêmico e a facilidade de plagiar.
O plágio acadêmico é a utilização de idéias, conceitos, trabalhos sem autorização ou sem mencionar a fonte de origem. Vamos ver o que diz nos dicionários Aurélio e Michaelis:
Aurélio: Ação do plagiário; cópia, mais ou menos disfarçada, de obra alheia.
Michaelis: Cometer furto literário, apresentando como sua uma idéia ou obra, literária ou científica de outrem 2 Usar obra de outrem como fonte sem mencioná-la. 3 Imitar, servir ou fraudulentamente.
Guardando as proporções, já que se trata de um conceito amplamente difundido e de conhecimento geral, o que acabamos de fazer é um plágio de conceitos formulados por outros autores. Como você pode ver, através de outras palavras formulamos basicamente o mesmo conceito de plágio.
A lei 9.610 "altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências". A lei existe, mas pouco é levada a sério. Vemos na academia alunos e professores plagiando, todos "donos" de suas "próprias" conclusões. Mas porque é tão comum e fácil plagiar? Justamente pelo fato da legislação sobre direitos autorais não ser levada a sério. Segue o link da lei 9.610: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9610.htm
Faça bom uso! Não do plágio, mas sim da lei =)

Plagiando por aí...

O plágio em trabalhos acadêmicos já é uma prática antiga, contudo, o avanço tecnológico proporcionou mais facilidades para isso, principalmente com a difusão da internet. As dimensões dessas atitudes tornaram-se preocupantes, tendo em vista que não são apenas alunos do ensino fundamental e médio que copiam seus trabalhos da rede, mas isso ocorre também com universitários, mestrandos e doutorandos.
Muitos professores acreditam que a "preguiça de pensar" está diretamente vinculada com o plágio. Aliado a isso os alunos creem que a infomação encontrada na internet é de domínio público, o que tem contribuído para o crescimento desmedido dessa prática e para a deficitária construção do saber. Quem perde com isso são os alunos, que acabam não tendo o conhecimento adquirido e, muitas vezes, com prejuízos em sua aprovação escolar.
Por outro lado cabe aos professores, no primeiro momento, gerenciar e supervisionar estas práticas. Muitos professores concedem nota máxima para alunos de ensino fundamental e médio que plagiam trabalhos de ensino superior e na maioria das vezes nem sabem o que escreveram, e em alguns casos acreditam estar fazendo um movimento correto, já que uma boa nota serve como um "atestado" de eficiência dado pelo professor.
Sabemos que este problema não se restringe ao nosso país, segundo dados do site http://www.jfomi.jor.br/, só em 2007, o Office Research Integrity (ORI) dos Estados Unidos, especializados em analisar pesquisas médicas, recebeu 217 denuncias de plágio , abriu 14 investigações, encerrou 28 inquéritos, dos quais 10 registraram má conduta em pesquisa, e puniu sete pesquisadores com medidas que incluem suspensão de financiamento e cassação de registro.
Para minimizar este tipo de atitude, já estão disponíveis, inclusive de forma gratuita, diversos softwares, que avaliam o documento enviado pelo aluno e compara seu conteúdo com o de bilhões de sites e de algumas bibliotecas eletrônicas, elaborando um relatório com o índice de coincidências encontradas. Para inúmeros professores essa é a solução encontrada para coibir o plágio.

O DETECTOR DE PLÁGIO!!!

Os dias dos usuários do "ctrl c + ctrl V" estão contados!!
encontramos, para baixar da internet, um detector de plágio.
É um software que analisa parágrafo por parágrafo em busca de ocorrências de plágio. Leia mais em
http://www.plagius.com/s/br/default.aspx

Plagius 2.0 - Procura por documetos de diversos tipos de documentos da internet.
Ephorus - Procura verificar trechos 'surrupiados da internet".
Antiplagiarism 1 - Programa que detecta plágios em programas de texto.

Plágio na FaBiCo


No ano de 2004, nossa faculdade esteve em destaque na mídia, devido a uma suspeita de plágio... Leia mais: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=297DAC004

Video - Configurações jurídicas do plágio nos gêneros acadêmicos - Artur Stanford (UFPE)

video